Você sabe o que é “burnout” de cuidador?

sadnessComo identificar e lidar com o estresse do cuidador?

Se você é um cuidador, sabe que apesar de ser uma tarefa gratificante é tremendamente estressante. Cuidar de uma pessoa amada (paciente) que precisa de sua ajuda pode ser compensador. Estar presente ao lado de quem ama para lhe dar assistência faz muito bem, mas o preço pago é muitas vezes  um estresse grave que pode levá-lo a um “burnout” (um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional ou ao trabalho), tornando-o vulnerável em sua própria saúde.

Cuidado para não cair na armadilha de acreditar que tem que fazer tudo sozinho. Cuidado! Se você não cuidar  de si mesmo poderá não estar apto para tratar do paciente.

07 Sintomas de estresse  do cuidador

o   Cansaço. Sentir-se cansado a maior parte do tempo, sem disposição para executar para nada.

o   Sobrecarga. Sentir-se sobrecarregado e irritadiço.

o   Abandono. Sentir-se abandonado pelos familiares e amigos.

o   Raiva e frustração. Raiva da pessoa com Alzheimer, raiva de saber que não tem cura e raiva porque o paciente não entende o que está acontecendo.

o   Problemas de sono. Dormir mal – muito sono ou insônia.

o   Peso. Ganho ou perda excessiva de peso.

o   Desinteresse. Perda de interesse até mesmo das atividades que lhe davam prazer.

o   Concentração. Falta de concentração, cometendo erros até mesmo em tarefas rotineiras do dia a dia.

Alto grau de estresse, especialmente por períodos longos, acabam por prejudicar a saúde do cuidador, ficando vulnerável a sintomas de depressão e ansiedade. Além disso, dificuldades em fazer exercícios regulares ou de manter uma alimentação saudável, balanceada, também contribuirão sensivelmente para aumentar o risco de apresentar outros problemas , como cardiopatias e diabetes.

Estratégias para lidar com o estresse do cuidador

Se você está notando sinais de estresse regularmente, consulte seu médico. Ignorar os sintomas pode causar sérios problemas de saúde mental e física.

  • Aceite ajuda e não se sinta culpado por isso.  Tentar fazer tudo sozinho vai deixá-lo exausto. Procure obter apoio da família, amigos e  outros cuidadores que já viveram experiências similares. Prepare uma lista de coisas que outras pessoas podem fazer. Por exemplo, alguém pode levar o paciente para uma caminhada duas vezes por semana. Outras podem, em alguns dias, cozinhar para você. Dedique-se ao que sabe fazer bem. Não se deixe abater por sentimentos de culpa, por exemplo, se não consegue manter a casa perfeitamente limpa e em ordem. É normal e certamente compreensível que ninguém é um cuidador perfeito, o tempo todo. Não há motivos para culpa, você está fazendo o melhor que pode.
  • Procure organizações e grupos de apoio. Existem associações como as de Alzheimer e grupos de apoio formada por pessoas que têm experiência de situações similares.
  • Equipe de apoio. Em outro artigo já publicado sugerimos a alguém da família tomar a iniciativa de formar uma equipe de apoio, que permita ao cuidador, estabelecer metas pessoais de saúde. Por exemplo, defina um objetivo de fazer atividades físicas alguns dias por semana ou objetivos de ter uma boa noite de sono por semana.
  • Tenha alimentação saudável. Importante também estabelecer metas de uma alimentação  saudável e balanceada.
  • Use técnicas de relaxamento. Existem técnicas simples de relaxamento que podem aliviar o estresse. Tente algumas delas e escolha uma que seja melhor para você. Algumas destas técnicas incluem:

– Visualização – imagine estar num lugar ou situação que lhe transmita calma e paz.

– Meditação. Simplesmente dedique 15 minutos por dia para deixar ir todos os pensamentos estressantes.

– Respiração. Exercícios de respiração diminuindo a frequência de respiração e se concentrando em fazer uma respiração mais profunda.

– Relaxamento muscular progressivo. Relaxando cada grupo de músculos, começando numa extremidade do corpo e trabalhar cada músculo até a outra extremidade.

  • Torne-se um cuidador preparado. À medida que a doença progride, novas habilidades poderão ser necessárias. Procure se informar de cursos e programas oferecidos pela Associação de Alzheimer e outras entidades para ajudá-lo a entender e lidar com o comportamento e mudanças de personalidade que acompanham a evolução da doença.
  • Cuide de você mesmo. Consulte seu médico regularmente. Cuide de sua dieta alimentar, faça exercícios e procure descansar bem à noite. Assegurar-se de que está com saúde ajudará a ser um cuidador melhor.

Teste seu grau de estresse

Você regularmente …

  1. Sente que está sobrecarregado, tendo que fazer tudo sozinho, sem apoio, e ainda acha que  não está dando conta de tudo?
  2. Que, apesar do sacrifício da vida pessoal, você se sente impotente e sua dedicação inócua?
  3. Sente-se abandonado e deprimido por ter perdido o convívio dos amigos e familiares?
  4. Sente-se triste por não poder mais fazer as atividades que lhe davam prazer?
  5. Fica muito preocupado com a segurança da pessoa de quem cuida (paciente)?
  6. Fica muito ansioso com problemas financeiros e com decisões sobre saúde?
  7. Nega o impacto da doença minimizando seus efeitos sobre a família?
  8. Sente-se triste porque o relacionamento com o paciente não é mais a mesma de antigamente?
  9. Sente-se frustrado, zangado e perde a paciência, quando o paciente fica continuamente repetindo as mesmas coisas e parece que não escutar?
  10. Sente que sua saúde, metal e fisicamente, começa a dar sinais de problemas?

Se a maior parte das respostas a este questionário for “sim”,  veja as estratégias para lidar com o estresse e comece a dar mais atenção à própria saúde.

Artigo relacionado: Porque os cuidadores de Alzheimer precisam de socorro.

. Veja livros e cursos relacionados

 

 

email

  1. One thought on “Você sabe o que é “burnout” de cuidador?

    As informações do artigo foram muito úteis para mim.
    Estou cuidando do meu marido, com demência isquemica e semântica. Respondi sim a todas perguntas do teste, estou sem energia, mas não vou desistir, com a graça de Deus! Preciso de informações sobre terapias alternativas, como a hemoterapia, a terapia z e LDN. Podem me ajudar? Obrigado pra atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *