Porque os cuidadores de Alzheimer precisam de socorro?

depressãoEm meus anos de experiência com cuidadores familiares, tenho visto e ouvido frequentes queixas dos mesmos, relatando que à medida que a doença do paciente de Alzheimer avança, os amigos e parentes desaparecem. Verdadeiramente sentem-se esquecidos, excluídos do convívio normal.

Nota-se que essa é a realidade da maioria das famílias, embora seja justo considerar que há exceções.

Os cuidadores recebem elogios pela sua dedicação e trabalho dos demais familiares e amigos, mas isto é muito pouco, pois os outros,  via de regra, não fazem ideia nem de longe, do que eles passam no dia a dia junto ao paciente com Alzheimer.

Também pouco se discute em família o problema enfrentado pelo cuidador.

Da perspectiva dos demais familiares é compreensível, já que em muitos casos para a maioria deles, é assustador e desconcertante ver a progressão da doença, difícil de aceitar e entender que um ente querido esteja com Alzheimer. Há pessoas que tentam negar o diagnóstico afastando-se do problema, deixando para outra pessoa da família que assuma as obrigações dos cuidados necessários e, no máximo, contribuem financeiramente para as despesas.

Solidão e abandono do cuidador

Muitas famílias se desagregam e, pouco a pouco, os amigos se afastam do cuidador que se vê obrigado a um verdadeiro isolamento e agora privado de qualquer vida social, tendo muitas vezes que abrir mão de um trabalho que antes exercia para poder cuidar do ente querido.

A verdade crua é que se você tem um membro da família ou um amigo que se sacrificou para ser um cuidador de Alzheimer, e não ajuda e nem se envolve com o problema, efetivamente o está deixando abandonado, solitário e excluído do mundo dos prazeres simples da vida.

Os demais familiares, ocupados, vivendo suas próprias vidas alegam não ter tempo; na verdade não têm consciência da dimensão das dificuldades enfrentadas pelo cuidador no dia a dia.

Cuidadores precisam de ajuda

Cuidadores precisam de ajuda. Algumas poucas horas por dia longe desta atribuição, respirar o ar do mundo “lá fora”  e conseguir reatar algumas amizades melhora muito suas vidas.

Saiba que, pesquisas revelam que 40% dos cuidadores de pacientes com Alzheimer acabam por sofrer de depressão, devido a constantes situações que exigem grande controle emocional para não se exasperar, para não perder a paciência, diante de atitudes e comportamentos do paciente.

Sugestões para ajudar o cuidador

  1. Se você tem uma pessoa da família que se dispôs a ser o cuidador de um ente querido com Alzheimer, encontre um meio de organizar uma equipe de amigos e familiares que se envolvam com o problema. Alguém tem que tomar a iniciativa de assumir esta obrigação. Nada funciona melhor do que um pequeno time de pessoas para ajudar o cuidador. As palavras chave aqui são trabalho em equipe e envolvimento.
  2. Programe periodicamente um dia livre para o cuidador, permitindo a ele que tenha um tempo que ele possa dispor para coisas que lhe dão prazer, fazer pequenas  compras pessoais, visitar amigos, ir ao cinema ou teatro, ou  mesmo para ficar só consigo mesmo. Para isso é necessário que alguém da equipe de apoio se programe para substituí-lo naquele dia.
  3. Convide o cuidador e seu paciente para um almoço ou jantar fora. Para muitos cuidadores um dos maiores problemas é a ausência de momentos de socialização.Tanto para o cuidador quanto para o paciente, conversar e interagir com outras pessoas é uma terapia importante e reconfortante.
  4. Eleja um membro da equipe de apoio para substituir o cuidador algumas noites, pois das coisas que mais contribuem para sua depressão são as noites mal dormidas provocadas pelo paciente que acorda no meio da noite e sai perambulando à procura de algum objeto ou insiste em ir para “sua casa” e reluta, às vezes agressivamente, a retornar para o leito. A redução das horas de sono, noites após noites mal dormidas, são uma das principais causas à irritabilidade, à depressão e a comportamentos erráticos.
  5. Não permita que o paciente assuma controle do cuidador. Dê apoio irrestrito ao cuidador e cuide da saúde do mesmo

Um plano de ação de ajuda ao cuidador de Alzheimer

Você ou alguém da família deve assumir a iniciativa de compor uma equipe de apoio ao cuidador e um plano de ação que envolva os demais familiares, mediante reuniões e programas de entendimento da doença, e que contemple:

  • Montagem de uma equipe de apoio com atribuição de responsabilidades e tarefas para cada componente.
  • Treinamento básico dos componentes da equipe de apoio sobre o conhecimento da doença e os procedimentos de cuidados básicos.
  • Eleição de um coordenador da equipe que administre as ações e tarefas e controle dos cronogramas das atividades.
  • O coordenador deve manter contato permanente e constante com o cuidador definindo situações excepcionais que exijam uma intervenção extra da equipe de apoio.

Resultados gratificantes para todos

Portanto, a melhor solução é organizar um pequeno grupo de apoio e fazer um plano de assistência ao cuidador.

Eu sei por experiência própria que este apoio e envolvimento farão muito bem ao cuidador, ao paciente de Azlheimer e ao final, também para todo a equipe de apoio (normalmente, os demais familiares). Os resultados certamente serão gratificantes e enriquecerão a vida de todos.

Artigos relacionados:

– Aprenda a lidar com agressividade em Alzheimer

– Quer saber mais sobre Alzheimer?

– 10 coisas que o idoso com Alzheimer gostaria de lhe falar, se pudesse

– 6 dicas para reconhecer sintomas precoces da doença de Alzheimer

– Como lidar com a síndrome do por do sol em Alzheimer

Veja também vídeos relacionados:

O que os cuidadores diriam

Clarita

email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *