Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

disfagiaComo lidar com dificuldade de deglutição em idosos?

A dificuldade de deglutição é chamada disfagia  e é definida como qualquer dificuldade no trânsito alimentar desde a boca até o estômago, colocando o paciente em risco de desnutrição, desidratação e/ou pneumonia aspirativa.

É um sintoma geralmente ligado a uma doença, na maioria das vezes, neurológica  como a Demência de Alzheimer(DA). Há estudos revelando que os problemas de deglutição estariam ligados ao próprio processo de envelhecimento podendo ocorrer mesmo a idosos saudáveis.

Um ato aparentemente simples como engolir um comprimido de medicação é dos sintomas mais comuns.  O ato de fazer o comprimido percorrer a faringe e o esôfago, com precisão, exige coordenação e força muscular.

As alterações na deglutição dos pacientes com DA (Demência de Alzheimer) iniciam-se com queixa de engasgos durante a ingestão de alimentos, principalmente líquidos. Com a progressão da doença o paciente pode ter dificuldades com alimentos de outras consistências, o que leva ao comprometimento da condição nutricional. Há relatos de dificuldades de gerenciamento da deglutição nas fases iniciais, porém os problemas mais expressivos apresentam-se nas fases moderada e grave da DA.

Sinais de disfagia

1- Tosse ou engasgo com alimento ou saliva

2- Pneumonias de repetição ou recorrentes

3- Refluxo gastro-esofágico

4- Febre sem causa aparente

5- Sensação de bolo na garganta

6- Recusa alimentar

7- Sonolência durante as refeições

8- Presença de sinais clínicos de aspiração: dispnéia (falta de ar), voz molhada (som borbulhante).

Aos primeiros sinais de disfagia, isoladamente ou em conjunto, deve-se consultar um profissional especializado em fonoaudiologia para uma orientação adequada.

Seguem abaixo, entretanto, algumas orientações básicas que podem ajudar um paciente com disfagia a se alimentar via oral, de forma mais segura:

Orientações e condutas básicas

a)    Consistência dos alimentos. A consistência dos alimentos é modificada, ao longo do curso da doença, se necessário. A umidificação dos alimentos é indicada para a maioria dos pacientes. Em geral, a dieta de menor risco é a consistência pastosa homogênea (consistência de creme). O importante é a garantia de um desempenho seguro (sem a entrada de saliva/ alimentos/líquidos no pulmão) durante todas as refeições.

b)   Uso de espessantes alimentares.  São produtos industrializados que modificam instantaneamente a textura e consistência dos alimentos, não alterando o sabor. São bastante utilizados para espessamento de líquidos, pois tendem a ser a consistência mais difícil por exigir adequado controle oral, agilidade e coordenação da musculatura envolvida na deglutição. Na avaliação funcional da deglutição o fonoaudiólogo definirá a consistência mais segura de acordo com a dinâmica de deglutição do paciente.

c)    Posicionamento durante a alimentação.  Uma posição correta durante a alimentação dificulta a entrada dos alimentos nos pulmões, deixando a alimentação mais segura. Durante as refeições é importante que o paciente permaneça sentado, com o tronco reto e a cabeça erguida. Caso não seja possível, tente manter o tronco o mais reto que puder ou pelo menos a 45º. Use como apoio, travesseiros, almofadas, rolos de toalhas ou lençóis

d)    Ambiente. O ambiente onde o paciente será alimentado deverá ser calmo, oferecer o mínimo de elementos de distração assim como televisores e rádios que deverão estar desligados. Conversas paralelas também deverão ser evitadas, para não desviar a atenção do paciente.

e)    Higiene oral.  Pacientes com precário estado de conservação dentária estão mais propensos a broncopneumonias. Para manutenção adequada da higiene oral e para retirada da placa bacteriana é necessária a ação mecânica de escovação dos dentes. O uso de uma pasta que tenha boa ação bactericida é indicada quando ainda o paciente tem condições de fazer “bochecho”. Caso esteja em uma fase que já não consegue bochechar, sugere-se a utilização da própria escova e de um antisséptico a base de clorexidina a 0,12% sem álcool, não sendo necessário o enxágue.

f)   Via alternativa de alimentação.  A nutrição enteral é indicada a pacientes que possuem risco para aspiração ou para aqueles com ingestão alimentar insuficiente por via oral. Cabe à equipe médica optar pela sonda naso-enteral (SNE) ou gastrostomia (GTT). A sonda naso-enteral é um tubo flexível inserido no nariz. Recomenda-se que seja usada no máximo por um mês, mas na prática clínica isso não acontece. Para pacientes sem condições de manutenção de via oral exclusiva (se alimentar somente por boca), a gastrostomia é indicada. É um procedimento simples e realizado por via endoscópica.

Este artigo foi baseado na publicação do Instituto de Memória – Núcleo de Envelhecimento Cerebral / NUDEC

Artigos relacionados:

– O que fazer com um idoso (Alzheimer) perdido na rua? 

– Porque os cuidadores de Alzheimer precisam de socorro.

– Aprenda a lidar com agressividade em Alzheimer

– Quer saber mais sobre Alzheimer?

– 10 coisas que o idoso com Alzheimer gostaria de lhe falar, se pudesse

– 6 dicas para reconhecer sintomas precoces da doença de Alzheimer

– Como lidar com a síndrome do por do sol em Alzheimer

Veja também vídeos relacionados:

O que os cuidadores diriam 

– Clarita

. Veja livros e cursos relacionados

 

email

  1. 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

    Minha mãe tem há 7 anos Alzheimer e está c muita dificuldade para engolir a cápsula do remédio…posso abrir e colocar na colher com um pouquinho de água?

    • 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

      Olá Cintia!!!
      O que posso lhe orientar com segurança é que vc dê a medicação com algo mais pastoso, tipo iogurte. Vou consultar uma fonoaudióloga e depois lhe envio outras orientações.
      Abraços.

  2. 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

    Minha mãe não tem alzheimer.ela teve pequenos avcs e comprometeu sua voz e deglutição, ela não tem mais dentes e ai é q fica complicado e muitas das vezes ela se engasga e chega a faltar o fôlego e é um transtorno pra gente.a fono dela já nos orientou passar a comida no liquidificador,fizemos isso mas ela não quer mais então estamos sem saber o q fazer.

    • 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

      Querida Marinete,
      Sabemos o quanto é difícil quando chegamos nestas “encruzilhadas”, mas tente liquidificar os alimentos separadamente, por exemplo: creme de feijão, creme de ervilha, creme de milho, creme de cenoura… faça esses cremes tipo purê, carne de panela também dá para liquidificar …quando for servir coloque um pouco do creme feito no dia e um pouco de carne…o importante é vc variar. Faça gelatinas, maças cozinhas e amassadas, bananas assadas…etc. Descubra qual o paladar mais apurado de sua mãe…(mais para o doce ou mais para o salgado????) IMPORTANTE….se tentar ou mesmo já tenha tentado tudo isso e ela continuar não comendo, melhor vc procurar o médico que acompanha ela e talvez seja o momento de ela fazer a gastrostomia. E um passo geralmente que tentamos protelar, mas o médico saberá o momento certo. O que não pode acontecer é sua mãe ficar desnutrida, desidratada ou até mesmo fazer uma bronco aspiração pelos engasgos.
      Não sei onde vc mora, mas gostaria muito de te-la em nossa oficina dia 07/10/17 – Sobre CUIDADOS E CONDUTAS PRÁTICAS PARA IDOSOS COM ALZHEIMER, AVC E PARKINSON, aqui em Florianópolis.
      Me mantenha informada, e fique a vontade para nos enviar suas perguntas.
      Abraços
      Cida Griza

    • 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

      Querida Marinete,
      Sabemos o quanto é difícil quando chegamos nestas “encruzilhadas”, mas tente liquidificar os alimentos separadamente, por exemplo: creme de feijão, creme de ervilha, creme de milho, creme de cenoura… faça esses cremes tipo purê, carne de panela também dá para liquidificar …quando for servir coloque um pouco do creme feito no dia e um pouco de carne…o importante é vc variar. Faça gelatinas, maças cozinhas e amassadas, bananas assadas…etc. Descubra qual o paladar mais apurado de sua mãe…(mais para o doce ou mais para o salgado????) IMPORTANTE….se tentar ou mesmo já tenha tentado tudo isso e ela continuar não comendo, melhor vc procurar o médico que acompanha ela e talvez seja o momento de ela fazer a gastrostomia. E um passo geralmente que tentamos protelar, mas o médico saberá o momento certo. O que não pode acontecer é sua mãe ficar desnutrida, desidratada ou até mesmo fazer uma bronco aspiração pelos engasgos.
      Não sei onde vc mora, mas gostaria muito de te-la em nossa oficina dia 07/10/17 – Sobre CUIDADOS E CONDUTAS PRÁTICAS PARA IDOSOS COM ALZHEIMER, AVC E PARKINSON, aqui em Florianópolis.
      Me mantenha informada, e fique a vontade para nos enviar suas perguntas.
      Abraços
      Cida Griza

  3. 7 thoughts on “Como lidar com disfagia (dificuldade de deglutição) em idosos?

    Essa informação foi muito importante tanto para mim como profissional de saúde como para manha vida , saber lidar com pessoas doentes que precisam de orientação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *